uma breve e particular história

nesta última sexta-feira, dia 13 de novembro, enquanto caminhava mais uma vez ali pelo centro da capital, me deparei com uma imagem que me levou diretamente a Birigui, por volta dos anos de 1991/93. É que vendo a imagem abaixo, me lembrei da época em que era auxiliar de escritório lá no interior. Não sei se todos aí sabem, mas Birigui é a capital do calçado infantil, e eu, assim como a maioria dos cidadãos desta pequena cidade, têm uma probabilidade muito grande de ter em seu primeiro emprego, um trabalho em uma dessas fábricas relacionadas ao setor calçadista. Bom, não trabalhei em uma fábrica de calçados, mas sim em uma fábrica de solas para calçados. Para um batedor de perna, nada melhor do que ter as suas solas sempre renovadas, não é mesmo? Mas este não foi meu primeiro trabalho. Meu primeiro emprego me foi dado por um tio advogado, o Dr.Nicolau Galhego Garcia Filho. E junto com este emprego, que era o de secretário do advogado, ganhei também uma bicicleta, uma Caloi 10 azul. E foi esta bicicleta que me acompanhou neste emprego e no outro. Sempre que descia até o centro da cidade para fazer os serviços de bancos, correio, etc, era ela quem me levava. Não sei dizer agora quantas foram as vezes em que amarrei a minha companheira em postes como este aí abaixo, para depois seguir a pé, claro, caminhando pelo centro da cidade e executando as tarefas. Foram bons, quero dizer, ótimos e incríveis, quase que inocentes e ainda espertos dias desta época. Ha! e foi na biblioteca do escritório deste tio advogado que fiz meus primeiros contatos com alguns livros de fotografia, passando por horas a olhar fotos de importantes e renomados fotógrafos brasileiros, admirando-os, sem imaginar que um dia, viria a trabalhar como assistente de alguns deles aqui na capital.

Rua Libero Badaró - São Paulo - novembro/2009

Anúncios

10 Comentários

Arquivado em Uncategorized

10 Respostas para “uma breve e particular história

  1. Henrique Galhego

    Briliant history. Well done Brunel!

  2. Aires

    Bruñel, já que é assim, da próxima vez que for a Birigui City, você deve tirar uns retratos das “magrelas” antigas da coleção do Dalcídio, seu companheiro de fotografias.

  3. TuCa

    Linda Historia, e é assim que vou sabendo mais sobre voce e me surpreendendo, parabens.

  4. Fernando

    é verdade!!! um abraço e boa sorte sempre!

  5. Flaminio

    Ahahahaaaaa adorei me lembro muito bem desta epoca no escritorio do niko passava todos os dias a tarde só pra encher teu saco ler jornal ver as fotos q o niko guardava tomar agua café rssssssss era muito legal e as figuras q passavam lá muito bom linda a foto Bru parabens abraço.

  6. nicolau galhego garcia filho

    BRUNEL. OBRIGADO PELA LEMBRANÇA EMOCIONANTE. VOCE FOI UM SECRETARIO MUITO ESPECIAL. MUITO OBRIGADO. PARABENS.

  7. Alceu

    Fala Bruñel….

    Esta fábrica de sola deve ter muitas lembrenças legais hahah

    Boa Sorte

  8. Leo Donaire

    Caro Bruñel,

    Escrevemos páginas de um livro da vida. São nossas verdadeiras jóias, nelas que encontraremos as verdades, as dificuldades, conquistas e derrotas, do que se torna a cada dia a histórias que teremos pra contar. Mas são os personagens que deixam essas páginas tão especiais, onde um livro acaba sendo parte de outro. Parabéns pelo seu livro, que é escrito com tanto talento e dedicação. E como você é parte do meu, deixo aqui um link onde tem meu portifólio e por prova desse texto, uma foto sua … rs um abraço carinhoso de um pequeno personagem ….

    Link: http://www.youtube.com/watch?v=rhqQuTZvff4

  9. flaminio

    Bruñel, eu sei o que é isso, quando vc sai do interior e vai morar em uma cidade grande. Todo dia a gente depara com uma cena que nos faz lembrar do passado, parece até uma bobagem por parte das pessoas que nunca sairam do seu convívio, mas isto é uma situação normal , é uma enorme satisfação , lembrar da cidade natal e das pessoas que nela vc deixou e de vez em quando a gente viaja 18 horas de onibus(REUNIDAS),para passar alguns minutos reais ,com o passado que é a volta para o presente. A foto da bicicleta amarrada no poste, me fez lembrar quando eu morava em Birigui e tendo uma magrela amarela eu amarrava a bicicleta num poste ao lado do Bar do Comércio (Bar do Mário Japoneis).
    um abraço. flaminio.(o maior botafoguense do Rio de Janeiro)

    • flaminio

      Brunhel, continuo com o mesmo pensamento de 2010, um abraço, seu tio Flaminio, o maior botafoguense do rio de janeiro. 07.05.2017

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s